Reduzir fonte Letra tamanho normal Aumentar fonte
Portuguese English French Italian Spanish

Ilha de Almourol requalificada

ilha almourol

Os mais de 70.000 visitantes anuais do Castelo de Almourol, concelho de Vila Nova da Barquinha, tem agora melhores condições de segurança e conforto para visita ao monumento nacional. Terminaram no dia 29 de dezembro as obras de valorização e arranjo paisagístico da ilha. Os trabalhos decorreram no segundo semestre de 2018 e centraram-se na melhoria das condições de acesso do público ao castelo, na requalificação do coberto vegetal, na requalificação da margem direita e na colocação de um palco para espetáculos dentro do castelo.

A operação denominada “Valorização do Castelo de Almourol” teve um custo de 164 259,55€, tendo sido candidatada a fundos comunitários (FEDER), devendo ser comparticipada em 85% do valor total.

As intervenções de carácter construtivo efetuadas permitiram consolidar o percurso de visita na ilha, em segurança, com a substituição das escadas de acesso desde o embarcadouro, a substituição do percurso entre o embarcadouro e o início da subida para o castelo, a substituição e relocalização do balizamento do percurso de subida, a construção de degraus para vencer a subida de um afloramento rochoso, a instalação de sinalética de perigo de queda no interior do castelo, entre outros trabalhos. Foi também instalada uma estrutura para receber um palco amovível, bem como equipamento para a recolha de resíduos. Junto da ilha, foi substituída a escada de acesso entre o anfiteatro e o posto de visita/restauração. Foi ainda incluída na empreitada a demolição do maciço em betão que servia de apoio à prática de exercícios militares na margem do extremo Nordeste da ilha mas que descaracterizava o monumento.

A intervenção de correção do coberto vegetal da Ilha do Almourol consistiu em duas ações distintas: o tratamento, limpeza e manutenção do coberto vegetal existente que importava manter (maciço arbóreo e arbustivo que envolve o castelo e elementos e estruturas vegetais autóctones que ainda resistem nas margens e pontualmente na ilha), e a erradicação do canavial que invadiu a ilha e a sua substituição por um coberto autóctone climáctico. A operação permitiu consolidar as margens e terras em torno do Castelo, por forma a preservar o solo, as espécies e a paisagem.

Desde o passado dia 1 de janeiro de 2019, o Município de Vila Nova da Barquinha (a quem cabe a gestão do castelo) e o Exército, através do Regimento de Engenharia n.º 1 (que detém a sua propriedade), instituíram um bilhete único para visita ao Castelo de Almourol e ao recém-inaugurado Centro de Interpretação Templário de Almourol (CITA), no 1.º andar do Centro Cultural, em Vila Nova da Barquinha. O ingresso para visitar os dois lugares inclui a travessia de barco até à ilha de Almourol.

Centro de Interpretação Templário de Almourol já abriu

cita web

É o primeiro do género em Portugal. Dispõe de uma sala de exposição permanente, espaço de exposições temporárias e de uma sala de projeção de filmes sobre a temática dos templários. No mesmo edifício funciona também a Biblioteca – Arquivo Templário, que dispõe de um vasto acervo literário dedicado a este tema, fruto das doações de Teresa Furtado e de Manuel J. Gandra.

O novo Centro de Interpretação Templário de Almourol (CITA) permite a afirmação da rota templária no território, através da criação de elementos físicos e expositivos que possibilitam ao visitante contactar com a história e com as lendas indissociáveis do Castelo de Almourol. O monumento nacional é uma das mais fortes heranças da Ordem do Templo em Portugal, facto que contribui fortemente para a sua visitação por turistas nacionais e estrangeiros. O novo espaço cultural permite incluir Vila Nova da Barquinha nas rotas turísticas nacionais e internacionais associadas à questão templária.

Ao mesmo tempo que possibilita capitalizar o Castelo de Almourol como item de marca templária, contribui para a permanência de visitantes no concelho, através da criação de fluxos entre o Castelo e a Vila, sobre a temática do turismo cultural e religioso.

O projeto inaugurado ao público no passado dia 18 de novembro transformou um espaço já existente no 1.º piso do Centro Cultural de Vila Nova da Barquinha, a antiga sala da Biblioteca Infantil, de modo a receber uma exposição temporária e permanente, com peças, manequins, fotografias, ilustrações, infografia e textos. Na sala de projeção é possível visionar diversos filmes alusivos ao tema.

Para a criação dos conteúdos do Centro de Interpretação, foram elaborados estudos do património imaterial templário e da idade média, que contribuem para o aprofundamento do conhecimento sobre esta temática. O CITA irá acolher três exposições anuais, com conteúdos associados aos Templários e à sua história.

O projeto foi candidatado ao Programa Valorizar, Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior do Turismo de Portugal, que comparticipou em 90% do investimento total da intervenção – 152.219,88€. O Programa Valorizar tem por objetivo promover a contínua qualificação dos destinos com a valorização do património cultural e natural do país.
O CITA pode ser visitado, no edifício do Centro Cultural de Vila Nova da Barquinha, de terça-feira a sexta-feira, das 09:00 às 12:30 e das 14:00 às 17:30 e também aos sábados e domingos, das 10:00 às 13:00 e das 15:00 às 18:00.

Esta página requer cookies para o seu bom funcionamento. Para mais informações consulte a politica de privacidade. Politica de privacidade .

Aceitar utilização de cookies
Politica de cookies